PORTAL DO ALUNO / PROFESSOR

A gastronomia e a cultura local pesquisadas por futuros chefs

Os estudantes de gastronomia precisam descobrir os segredos da culinária do mundo. Porém, também é necessário ter conhecimento dos prazeres da mesa da sua localidade.

Pensando nisso, a professora Keila Lemos, que ministra a disciplina Gastronomia Aplicada ao Turismo e Hospitalidade, pediu para seus alunos do primeiro período pesquisarem sobre a influência gastronômica e cultural dos imigrantes nos municípios das Rotas Turísticas Capixabas como Alfredo Chaves, Marataízes, Linhares e Santa Maria de Jetibá.

Para a professora, “o mais importante era observar a culinária local sob a origem dos produtos e a influência dos colonizadores na alimentação, além da apresentação da identidade gastronômica do município como produto turístico”.

Os pupilos de Keila buscaram exatamente isso em seus trabalhos. Até porque a nota dependia disso.

O grupo da aluna Grazielle Baldi descobriu a origem do nome do município pesquisado por eles. Como forma de homenagear um ministro da época, foi criado o distrito de Alfredo Chaves, por decreto estadual de 24 de janeiro de 1891, este desligado do município de Benevente, atual Anchieta.

Outro membro do grupo de Grazielle, Markus Méier, chama atenção para o Vale da Aventura de Alfredo Chaves. “O Vale oferece ao turista vôo livre, rapel, escalada e passeios ecológicos. Todos esses fatores, junto com a abundante flora e fauna, contribuem para atrair o ecoturismo e o turismo de aventura no município”, destaca Markus.

Outra curiosidade é o “berço” da cozinha de Linhares. A dieta da população do 2º município mais populoso do Espírito Santo é rica em peixes. “A influência pesqueira e as técnicas de “catar” os crustáceos reforçam a composição da cultura indígena da região”, informa a aluna Mariana Vargas.

A equipe de Mariana ainda descobriu a origem da torta capixaba e do maior tempero da culinária local, a panela de barro, cujo modo de confecção pouco mudou desde os tempos tribais. “Por ser um prato à base de peixes e crustáceos, a moqueca também é uma grande herança indígena, que, juntamente com a farinha de mandioca, fazem história na região”, explica a discente Paulina Havana.